terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Andando de Kart


É uma delícia andar de kart.
Você sente que você mesmo está acelerando a máquina, o que é a mais pura verdade.
Pus o macacão alugado, o capacete do meu pai, assisti o briefing atentamente, comprimentei o garoto que ia correr comigo, lhe dei boa sorte, fui pra pista com coragem e dei uma volta.
Ao sentir a sensação de prazer ao movimentar a máquina, quis mais.
Dei umas dez voltas no total, e só não dei mais porque estava cansado.
A sensação de prazer ao ver que você controla a máquina, não é a única sensação legal.
Também é ótima a sensação de ver o número 11 estampado na carenagem e se sentir pilotos da minha geração que usaram o 11.
Como Trulli, Kubica, Alguersuari, Bourdais, Ralf Schumacher.
Quero ir de novo.

6 comentários:

L-A. Pandini disse...

Oi, filho. Quer ir de novo? Quando você quiser! Um beijo. (Papai)

Alessandra Alves disse...

Gabriel,

adorei seu relato. Objetivo e preciso. Foi muito legal ler sobre essa nova experiência. Aposte em outras, você vai descobrir muitas coisas legais!

Um beijo,

Mamãe

L-A. Pandini disse...

Gabriel, segue um comentário que o Grun não conseguiu colocar aqui. Ele mandou para mim. Beijo!



Sensacional a experiência... pena que não consegui deixar meu comentário no blog. Tem algum big lá que eu preciso ter conta do gmail... Enfim, reproduzo abaixo o que escrevi (ou tentei escrever) por lá.

Abraços
Grun

* * * * * * * *

Ah, esses momentos mágicos... lembro bem da minha primeira vez em um kart. Tinha 21 anos. Mas me senti como se tivesse dez. A corrida foi um desastre, mas a sensação foi demais! Marcou para sempre.

Anos depois, aos 27, comecei a correr de kart indoor com certa fequência. E ao lado de meus amigos do Kart Riders, do Rio de Janeiro, vivi a experiência de correr pela primeira vez na Granja Viana, mesmo que em karts de lazer. Saí de lá me sentindo nas nuvens.

O tempo passou, me mudei para São Paulo, e a Granja virou um lugar regularmente visitado. Onde, na semana passada, aos 34, tive a oportunidade de competir nas 500 Milhas de Kart, um feito impensável até bem pouco tempo atrás.

E pensar que tudo isso começou naquele dia, quando entrei num kart pela primeira vez. Naquela época eu também achava, inocentemente, que os karts, ao contrário dos cachorros, não tinham vontade própria...

(Alexander Grunwald)

L-A. Pandini disse...

Gabriel, lembrei de uma coisa: o outro menino, que você fez questão de cumprimentar, também se chama Gabriel!

Pedro Costa disse...

Muitos parabéns pela experiência, agora é só continuar, com calma porque depois tudo o resto virá.

Um abraço.

Pedro Costa.

Blogue Mania dos Carrinhos)

Raphael disse...

usahshuauh oi meu nome é raphael i eu vi vc na revista recreio queria que vc me ajudasse a modificar meu blog estou pegano ideias dos blogs que eu vejo tenho 11 anos e não se preucupe não to entranu no seu blog pa roubar ideia suahsahuhasu :D abraços!Meu email e meu blog:http://tudosobreesporte-esportenews.blogspot.com/